Pular para o conteúdo principal

Idas e vindas

Sábado à tarde, saindo da praia, fui surpreendida por uma ligação no celular. Alguém que não via há muito tempo chegou de viagem e, por algum motivo, lembrou de mim. É sempre bom ser lembrada, mas é melhor ainda quando a lembrança não é uma lembrança óbvia, previsível ou obrigatória. Não tinha que lembrar, mas lembrou. Lembrou porque... Lembrou e isso basta. E bastou para me deixar feliz. Para me mostrar que quando as pessoas passam, tranqüilamente, da sala do presente para o quarto do passado, a porta se mantém aberta. E, nas muitas idas e vindas que movimentam a vida, é através desta porta que as histórias podem ser lembradas, revividas e, talvez, recriadas e reinventadas.
Um amigo diz que às vezes damos uma volta de 360°. Segundo ele, andamos, andamos e paramos no mesmo lugar. Será? Acho que não. A cada passo mudamos nós, mudam os outros, mudam os lugares, mudam as situações. Voltar ao ponto de partida não é possível porque ele também já não é mais o mesmo. Pode ser, agora, um ponto de repartida, um ponto final ou simplesmente uma parada estratégica para recuperar o fôlego, o otimismo, a auto estima, a fé e a esperança. Prefiro pensar a vida como algo cíclico como o mar, com ondas que vêm, vão e vêm de novo. Voltar o passado não volta, mas se ele se faz presente de novo, pode ser que seja mesmo o novo, de novo.

Comentários

Roberta disse…
Sabe que eu meio que concordo com seu amigo?? às vezes a gente gira, gira e gira e volta pro mesmo lugar. Claro que esse lugar vai estar diferente, mas vc acaba voltando a conviver com as mesmas pessoas. Quantas vezes já aconteceu de eu me afastar de uma pessoa e depois de muito tempo, conhecer um primo ou parente que volta a me apresentar pra mesma pessoa.. ou seja, parece que existe um ciclo de amizades que precisamos conviver pra aprender ou amadurecer, sei lá.... a vida é assim... difícil de tentar entender....