Pular para o conteúdo principal

Aquele apartamento

A porta se abriu e eu entrei naquele apartamento com vontade de que ele fosse meu também. Queria mais do que morar ali, queria viver sob a proteção daquele teto, ser observada diariamente por aquelas paredes brancas, sentir me tocar o vento que no fim de tarde entra por aquela janela, adormecer nas almofadas de algodão espalhadas por aquele chão para, quando acordar no meio da noite, dar apenas alguns passos e chegar àquele quarto, me jogar naquela cama e ter ao meu lado aquele que tanto desejo. Tantos desejos... Apenas desejos. Eu não era parte daquele apartamento e quando saí de lá, senti a angústia que acompanha todas as despedidas, a tristeza de uma saudade precoce e a vontade de voltar a um tempo que já se foi. Fechei a porta devagar mas me deixei ficar ali, parada para que, mesmo que brevemente, o olho mágico me visse chorar sorrindo.

Comentários

Roberta disse…
Já te falei que vc escreve super bem né?? Pois é, to falando de novo: vc escreve super bem hehehe
Beijos
Olá, tudo bem? O desejo é meu sentimento de cabeceira. Publiquei alguns posts sobre isso em meu blog. Escrevo poesia mas amo as variações prosadas. Eu acho que no teu texto falta um poquinho d ematuridade na escrita, menos insegurança talvez no que u sentes ou quer dizer com tuas palavras. Garota, escrevas sem parar. è delicioso e tu és muito boa nisso! ;-)
Bjus de *Flower*!!!
isli_melanie@yahoo.com.br
http://mundodecetim.blogspot.com