Pular para o conteúdo principal

Espelho de mim

Olhei para o espelho e perguntei:
- Quem é você?
- Eu não sou você.
Parei, não tanto pelo susto de ter tido uma resposta, mas pela resposta.
- Como eu não sou eu?
- Eu não sou você e, portanto você não sou eu. Simples assim.
Achei a situação absurda, mas continuei:
- Então quem é você?
- O que sou eu!
- O que?
- O que. Não quem.
- O que então é você?
- Uma imagem, só uma imagem.
Já irritado gritei:
- A minha imagem!
- Sua, é verdade... Foi você que me criou.
- Criei?
- Sim, criou.
- Criei a mim mesmo?
- Não, criou a imagem.
- E não é a mesma coisa?
- Nem sempre. Ou quase nunca.
Não sabia se havia enlouquecido e, atônito, me calei. Mas minha imagem continuou:
- Sou o que você pensar ser, o que tenta parecer ser e não necessariamente o que você é.
- Não?
- Você não é mais do que uma imagem?
- Claro!
- Então...
- Então o que?
- Não sei, sou só uma imagem.
- E eu?
- Você?
- Eu!
- Você, só você pode saber.

Comentários

Samantha Queiroz disse…
Prima!!!!!!!
Estou AMANDO as suas "letrinhas"... quero saber se vc me autoriza e me permite levar o "Espelho de Mim" pra aula da pós graduação.... ele ilustra tão bem o que estamos falando com a Rosangela sobre representação....
Bjs
suspeita disse…
O espelho pode ser enganador. Ora mostra o que queremos ver, ora mostra o que não somos... Tudo depende dos nossos olhos...