Pular para o conteúdo principal

Outono

O vento do outono começa, com atraso, a soprar. Das folhas das árvores que balançam, das nuvens que se movem no céu e dos finos pingos de chuva que caem, vêem as notícias de uma vida que segue, embalada por lembranças ainda presentes, estimuladas por novidades que já se anunciam e fundamentadas na vontade intensa de viver devagar. Sem pressa do inverno chegar.

Comentários

Maira disse…
AMEI AMEI AMEI!!!!
Beijos!
Mauro Cassane disse…
Ah, sim é isso mesmo. Minha estação preferida abaixo da linha do equador é o outono, e tudo que a estação traz consigo. Que delicia seu poema suave em prosa, escrevestes como uma brisa de outono...
bjs
Marcia disse…
Pois e... mas, o outono se vai e cada estacao, bem como as idades, tem seu encanto particular. Sao coisas novas e peculiares que a outra, que passou ou que vira, nao tera condicoes de oferecer... E assim e a vida: momentos, um atras do outro, com suas especificidades. Ainda bem que e assim, mesmo que, muitas vezes, desejemos eternizar alguns instantes, horas, dias, estacoes...
Lindo como sempre.
Um bj e minha admiracao.
Marcia.