Pular para o conteúdo principal

As novidades

Há sempre a hora em que as novidades surgem. Sorrateiramente ou impetuosamente elas chegam e, como o calor da primavera que anuncia o verão, têm o frescor do que ainda não foi vivido, o sabor exótico do desconhecido e o odor estimulante do inédito. Elas trazem a promessa das possibilidades possíveis e, assim, mudam o curso dos acontecimentos, desviam a vida por caminhos por onde o presente se torna passado. Natural que seja assim...

É natural e seria, também, bom, se os sonhos do passado tivessem deixando o gosto doce de boas lembranças e não o amargo sentimento de perda. Seria muito bom, se os sentimentos, antes vividos juntos, tivessem, ao mesmo tempo, sido amenizados e esquecidos com a mesma suavidade com que as folhas de outono caem sobre as calçadas. Mas o que se anuncia é um inverno de lembranças frias e sem esperança.

Comentários