Pular para o conteúdo principal

Longe demais

Acostumara-se com o sinuoso contorno das montanhas recortando o céu, mas agora eram as duras linhas retas dos edifícios que rasgavam o infinito. Olhava para cima buscando o azul intenso, mas entre o concreto só conseguia ver uma cor tão indefinida quanto sombria.

No rosto, óculos escuros que ainda traziam os sinais do contato direto e prolongado com a areia e a maresia. Sob as lentes escuras, olhos aflitos tentavam compreender aquele lugar. Diante de tanta estranheza, se reconheceu ele como o estranho.

Pelas formas, cores, emoções e sentimentos que haviam ficado para trás, os olhos claros apagaram-se em um fundo vermelho. Ficaram úmidos, mas sequer uma lágrima desceu. O choro estava oprimido pela nostalgia do que estava deixando de ser vivido distante dali.

Comentários