Pular para o conteúdo principal

O azul de abril

Abril começando, eu me lembrei da música que diz que são as águas de março que fecham o verão. Águas da chuva que ameniza o calor da cidade. Águas das tempestades pessoais e solitárias que atingem a todos nós, despertando-nos para outras melhores estações. Novas páginas, azuis após as lágrimas de um verão. O céu do recomeço e das infinitas possibilidades de ser feliz. Infinito é o azul, infinita é a nossa capacidade de transformação. Sinuoso e intrigante é o símbolo do infinito que nos confirma a possibilidade constante de recomeçar. Era lá, no infinito do recomeço, que estava meu sentimento quando uma mensagem de apenas duas secas linhas me fez perceber que haviam cessado as minhas águas de alguns marços. Terminava ali mais do que uma longa estação.

Comentários

Juliana disse…
precisamos lembrar que a vida é feita de ciclos. e ela faz questão de nos relembrar. toda hora.
Maira disse…
Muito bonito...gostei!