Pular para o conteúdo principal

O que pode vir a ser

Já disse e, felizmente, posso repetir: não sinto ódio ou raiva. Mágoas são, em alguns momentos, companhias inevitáveis. Mas dissipam-se no ritmo variável do tempo que deixa as sombras esquecidas pelo caminho e conserva apenas aquelas lembranças capazes de fazer sorrir diante de uma paisagem já vista, de uma música já ouvida, de um aroma já sentido, de um sabor já experimentado ou de um vento que toca com o mesmo carinho a face um dia alegre. Em alguns momentos sinto tristeza. Mas também ela e as dores são suprimidas pelas possibilidades apresentadas por um coração que, uma vez mais, abre-se para a emoção de novas paixões e novos amores. Entre o bom e o ruim, fico com a permanente opção de recomeçar.

Comentários

Anônimo disse…
Nossa!!! Que perfeito, Roberta!!! Continue escrevendo! Sempre!





Maira
juliana disse…
ódio não pois faz mal pra pele e pro fígado e pro coração. mas raiva sim. mas ela tb. passa diante do decorrer de dias alegres, como vc tão bem descreveu.