Pular para o conteúdo principal

O novo

Ela tinha agora um novo sorriso. Um pouco recuperado, um pouco recriado. Como seria bom sorrir esse novo sorriso para ele como se fosse novamente a primeira vez. Para ela, era mais uma primeira de muitas vezes. Da inocência, havia a lembrança. Conservava, contudo, a sinceridade e a pureza e exibia com orgulho a esperança readquirida. Da insegurança de sua inexperiência ficara o aprendizado. Do sorriso de menina, persistia a alegria, fortalecida por todas as lágrimas choradas. Por um tempo, a tristeza havia encoberto o sorriso, mas não lhe tirara a capacidade de sorrir. Capacidade que ela usava, agora, para sorrir para o futuro e para o presente que tentava tomar de volta para si. Queria sorrir para ele o novo sorriso, mas como não tinha ele também um novo sorriso, sorria para outros eles que lhe sabiam sorrir de volta.

Comentários

Maira disse…
"Deixe que o tempo passe e já veremos o que traz"
Perfeito isso e lindo o que vc escreveu.
Fico feliz de vc ter voltado a escrever tanto...que bom.
Um beijo.
Ana Paula disse…
Como sempre, querida amiga, um arraso!!!
Adoro as coisas que escreve!
Não pare nunca, por favor!
Beijos!
Renata disse…
amiga,
há muito tempo não visitava seu blog.
adorei!!! você é demais!

beijos,