Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2006

Parabéns

Alguns dias amanhecem tristonhos. Com nuvens cinzas no céu e pensamentos nublados na cabeça. São dias em que os sentimentos se deixam prender por aquilo que não foi, lamentam o que não aconteceu e se perdem nas dúvidas sem resposta, nas vontades não realizadas e nas que estão suspensas, talvez temporariamente, talvez definitivamente. Mas alguns dias que amanhecem, não permanecem nublados. Alguns pensamentos que começam tristonhos se dissipam e o céu cinzento deixa pequenos espaços para a passagem de raios de sol.

A mudança pode vir de lágrimas de desabafo ao volante do carro, de uma paisagem corriqueira que nunca teve a atenção merecida, de uma música ouvida ao acaso no rádio, de uma história contada por alguém que toma café na mesa ao lado, de uma notícia no jornal pendurado na banca, de um e-mail inesperado ou de um telefone especial. No dia que hoje amanheceu em triste tons de cinza foi um telefonema que refez o ânimo.

Quase duas semanas após o meu aniversário, um amigo muito querido…
Tenho vontade de choro. Choro escandaloso e compulsivo. Choro não sei de que... Lágrimas por quê? Alívio ou dor... Fim ou recomeço... Catarse ou drama... Passado ou futuro... Esperança das novas cores que estão por vir.

De volta à rotina

Foram pelo menos duas semanas quase que exclusivas de trabalho. Longos dias sob as luzes frias do escritório e noites de sono curto e agitado. Agora que o trabalho chegou ao fim (logo recomeça, mas, felizmente, em um ritmo mais próximo da normalidade) posso retomar minhas atividades, remarcar meus compromissos e ter, todos os dias, a possibilidade de ler o indispensável papel jornal. Ver os amigos e conviver com a família. Encontrar o sol e me entregar ao mar.

Hoje vi o cartaz de um espetáculo que tem um título que está, nesse momento, em sintonia comigo: Parem de falar mal da rotina. Parei de falar mal da rotina e me entreguei a ela. Quem sabe agora, com a rotina de volta (mesmo que seja uma rotina ao meu estilo, incerta e imprevisível), voltem também as palavras que me são sopradas e que, unidas umas às outras, formam as frases e os parágrafos que coloco aqui. Quem sabe com a nova idade, passou também o meu aniversário, venham as novidades... Retomei o fôlego e estou pronta para elas…