Pular para o conteúdo principal

Solteira

Estar solteira não é divertido apenas pela diversão na forma mais óbvia e, perdoem a redundância, mais divertida deste estado civil que significa, entre outras coisas, a quase total ausência de compromisso. Liberdade não vigiada, mas acompanhada, uma hora os solteiros percebem isso, por olhos que poderiam ser de cupidos, mas que, na verdade, pertencem aos amigos que estão namorando, casados, enrolados ou em situações afins. De repente, todos eles querem apresentar alguém para você e como boa parte deles não fica apenas na vontade, está aí uma outra faceta divertida da vida de um solteiro.

As situações inusitadas se multiplicam de tal forma que, de tão doido, tudo passa a ser engraçado. Eu pelo menos, mesmo sem nenhuma intenção, me divirto bastante com o surto casamenteiro coletivo. Talvez porque meus amigos, como amigos meus que são, me conheçam bem e escolham para me apresentar pessoas interessantes. Mesmo que o universo não varie muito - profissões, atividades e interesses bem parecidos – são sempre novas e diferentes pessoas. Gente legal que rende, no mínimo, uma boa conversa de bar. E tome chope!

Fiz a assessoria de um espetáculo de circo e na estréia a minha chefe, ao invés de fazer algum comentário sobre meu trabalho ou sobre a apresentação, preferiu insistir para que eu “investisse” em um fotógrafo que também estava lá. Sexta-feira é certo, dia para os amigos de trabalho sugerirem uma esticada em um bar onde “está um amigo meu que tem tudo a ver com você”. E não é só. Domingo desses acordei com uma amiga fazendo a seguinte declaração ao celular: “arrumei um namorado para você”! Você estava procurando? Eu não...

E assim as situações inusitadas atraem outras e até os desconhecidos parecem perceber o clima. Outro dia liguei para confirmar a presença no casamento de uma amiga e eis o diálogo com a cerimonialista:

Cerimonialista: São duas pessoas, né?
Eu: Ah, são? Tudo bem, mas eu tenho que dar o nome da outra pessoa?
Cerimonialista: Tem, mas não precisa ser agora, pode me ligar depois.
Eu: É que eu ainda não sei...
Cerimonialista: Mas diz aqui que é seu namorado...
Eu: Pois é... Não sei o nome ainda.

Como o esforço é tanto e são muitas as opções, melhor decidir na hora! Porque decidir na hora também é parte da divertida vida de solteira. E, a propósito, por hora fico com esta vida. Feliz da vida.

Comentários