Pular para o conteúdo principal

Mergulho no mar

Nos ciclos que formam a vida, histórias começam e terminam. Algumas bem, outras nem tanto, mas sempre deixam espaço para novidades. A vida, segundo a filosofia que poderia ser classificada como de botequim se não tivesse sido pensada na praia. Com a relação quase mística que todo carioca tem com o mar, ela colocou o pé na areia e deu um mergulho – não custa tentar – para atrair as tais novidades.

Sugestionada ou renovada saiu do mar e da praia com passos leves. Caminhando devagar para não deixar o novo passar sem ser visto, nem desconfiou que pudesse ser ela a novidade. Parada na esquina esperando o sinal fechar, alguém a chamou. Mas não era o alguém que esperava que meu mergulho no mar pudesse atrair. A distância entre estes dois alguéns era do tamanho de um oceano!

Não sabia se ria ou se corria da figura gordinha de short apertado, tênis e meia esticada, que perguntava: “você vem sempre à praia aqui?”. Não! Qual parte do mergulho pode ter dado errado? Será que o mar estava em condições impróprias? Apressou o passo para rir sozinha. A criatura ficou perdida nas listras da faixa de pedestre, mas ela não se perdeu da esperança. Quem sabe no próximo mergulho dá certo?

Comentários

irving disse…
Gostei muito! estou lendo seu blog e estou achando o máximo Roberta.
Continue escrevendo.
Bjs e abraços

Irving Franco