Pular para o conteúdo principal
Por algum motivo uma mensagem enviada em 2011 por uma pessoa que havia acompanhado este blog por alguns anos ficou perdida no Facebook. A emoção de me saber lida trouxe felicidade e também vontade de retomar, não só um blog, mas a aventura de escrever que eu havia deixado se perder em algum atalho da vida. Um atalho como outros que, talvez por engano, tomei.

Que desvios me afastaram de mim? A mensagem ficou perdida por dois anos talvez para ser lida no momento certo, neste momento em que tenho me perguntado repetidamente isso.  Com atraso, respondi a mensagem da pessoa que me leu por alguns anos e ele deu uma sugestão para o blog que, na verdade, é uma sugestão para a vida. Afinal, algumas vezes é mesmo preciso voltar aos passos que foram dados.

"A viagem não acaba nunca. Só os viajantes acabam. E mesmo estes podem prolongar-se em memória, em lembrança, em narrativa. Quando o visitante sentou na areia da praia e disse: ‘Não há mais o que ver’, saiba que não era assim. O fim de uma viagem é apenas o começo de outra. É preciso ver o que não foi visto, ver outra vez o que se viu já, ver na primavera o que se vira no verão, ver de dia o que se viu de noite, com o sol onde primeiramente a chuva caía, ver a seara verde, o fruto maduro, a pedra que mudou de lugar, a sombra que aqui não estava. É preciso voltar aos passos que foram dados, para repetir e para traçar caminhos novos ao lado deles. É preciso recomeçar a viagem. Sempre" - José Saramago

Obrigada, Pedro!

Hora de retomar a viagem!

Comentários