Pular para o conteúdo principal

A copa dos brasileiros

A Copa acabou há três dias, mas ainda é tempo de falar sobre ela. Aliás, acho que durante muito tempo se falará sobre ela e se sentirá os efeitos dela. Que efeitos são estes? Um mês de competição mais três dias já de saudade é pouco até mesmo para entender a dimensão e o impacto de tudo que aconteceu dentro e principalmente fora de campo.

Foram 32 seleções, 64 jogos, 171 gols, mais de 3,4 milhões de pessoas presentes nos estádios. Os números impressionam, mas não são suficientes para explicar por que a competição foi chamada por uns de “Copa das Copas” e por outros de “Melhor Copa”. Talvez a euforia venha da dúvida. Ou mesmo os mais otimistas não pensaram que algo poderia dar errado? Problemas e falhas ocorreram, claro, mas não comprometeram o sucesso do evento. Sim, a Copa do Mundo no Brasil foi um sucesso!

Qual o legado que ela deixa? Legado... Nunca antes esta palavra foi tão usada. Repito que ainda é cedo até para entender o que aconteceu por aqui no último mês, mas me arrisco a dizer que, seja qual for este legado, ele tem pouco a ver com futebol. Embora a derrota para a seleção alemã possa (e deva) ter consequências e efeitos no futebol brasileiro.

Por falar nesta derrota – para o bem e para o mal será difícil esquecê-la – foi após aquele jogo que, em uma conversa com uma amiga, parei para refletir sobre o que, afinal, a copa estava significando para nós brasileiros. Falávamos sobre a sensação estranha que aquele 7x1 deixou em nós e em algum momento recorremos a um clichê qualquer sobre como podemos aprender com as derrotas.

Clichê, mas verdade. As derrotas realmente podem nos ensinar. O que, então, aquela vergonhosa derrota poderia nos ensinar? Talvez que o sucesso não tenha que vir e não esteja restrito, necessariamente, ao futebol. Os sete gols da Alemanha jogaram na nossa cara o que sabíamos, mas não queríamos admitir: não jogamos mais aquele futebol admirado, copiado e temido por todos.

Mas se o futebol do país do futebol não é mais o melhor do mundo, o que somos então? Somos muito mais do que futebol! Podemos e tivemos sucesso fora de campo. A seleção fracassou, mas a copa não. Ao contrário! Jornais de diferentes países publicaram matérias e artigos elogiosos. Elogios também dos visitantes, que destacaram a hospitalidade dos brasileiros e disseram querer voltar ao país.

Talvez quando voltarem o país seja outro. Talvez o povo consciente e orgulhoso de suas qualidades e de sua capacidade faça deste outro país. E quando este país for outro, talvez volte a ser também o país do futebol. Também! Porque a pátria até pode continuar calçando chuteiras, mas não só.

Comentários