Pular para o conteúdo principal

História que começa

A luz. A primeira coisa que percebi foi a luz. Não era exuberante ou forte. Não gritava, talvez sussurrasse. Uma claridade tímida, com um quê de desconfiança e outro de insegurança. Furtiva, mas não sorrateira como aquela manhã sutilmente alegre. Alegre! Era assim que eu me sentia. Sorria um sorriso com a claridade que só as coisas, os momentos e as emoções por começar têm. Havia uma aura de começo na luz e no sorriso, em mim. Começava mais que um dia, começava uma história.

Comentários