Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2017

Lembranças alegres me acenam do portão

A tarde seguia apressada, tentava apressar também a mim, mas eu não estava conseguindo acompanha-la. Havia urgência a resolver, mas tal qual em um sonho, eu não saía do lugar. A princípio, não podia mesmo sair. Espera e olha o relógio, espera e confere o celular, confere o celular e olha o relógio, confere o relógio e espera. Quando pude sair não fui muito adiante. Para, anda; desvia; anda, para; muda o caminho. Anda, mas... Espera! Vou passar por lá? Para! Anda e não tem mais como desviar e parar, parar só bem em frente. Era um sinal, mas eu poderia acreditar ser o universo conspirando. Conspiraria contra ou a meu favor? Não vou olhar. Do outro lado um triste muro. Não vou olhar. Na frente o sinal vermelho. Não vou olhar. Aqui dentro não consigo, não resisto e me viro. No portão pareciam me esperar as lembranças alegres. Quando olho para elas, acenam e sorriem para mim. Sorrio de volta. O sinal abre. Ando. Sigo. Acordo. Tal qual em um sonho bom, desperto leve para a realidade.

A fase de silêncio da lua. Espera

A lua tem fases
O tarô tem cartas
A vida tem fases
Jogo
Lua na fase da vida
Momento de aquietar
Não agir
Pensar e repensar
Silenciar movimentos
Parar palavras
Respirar
Meditar
Serenar
Acolher as dúvidas
Aceitar as incertezas
Deixar estar
Deixar ser
A vida e o tarô
A fase e o momento
O tempo
É tempo de recuar
Silenciar
Esperar
Espera
Sob a lua do tarô, espera
Em silêncio, espera
Silêncio e espera
Espera
Em silêncio
Silêncio

As conchas

Inspiração, metáfora, conselho, símbolo. O mar sempre foi isso tudo para mim. Não por acaso, eu sempre quis fazer uma tatuagem que traduzisse um pouco de tudo isso que o mar significa e representa para mim. Há uns anos fiz uma onda no pulso. Mas embora poucas coisas sejam tão mar quanto as ondas, senti que ainda faltava desenhar na minha pele o que o mar é na minha alma.

Pensava, mas nunca foi, de fato, uma busca. Era uma ideia. Um dia... Até que um dia, totalmente do nada, a ideia ressurgiu com forma, a forma de uma concha. Pesquisa daqui, olha dali, fui descobrindo que, para além de ser um símbolo do mar, a concha carrega muitos outros significados. Todos, de alguma forma, tocantes a mim.

Em um resumo breve da minha primeira, e também breve busca, a concha era, originalmente, um símbolo pagão associado à deusa Vênus. Vênus que, para muitos, está associada ou, mais que isso, é a mesma divindade que Afrodite e Iemanjá. Representa, também, a fecundidade, o nascimento e a criação.

Marqu…